Itaú e Bradesco investem em fintech de open banking.

Regulamento do Banco Central (BC) prestes a estrear. Fintech que ajuda a viabilizar o compartilhamento de dados dos clientes acaba de levantar US$ 15 milhões.

Na época em que Ricardo Taveira fundou a Quanto, em 2017, o empreendedor era uma das poucas vozes no Brasil falando sobre open banking, um conceito então desconhecido no país. Agora, com o regulamento do Banco Central (BC) prestes a estrear, a fintech que ajuda a viabilizar o compartilhamento de dados dos clientes acaba de levantar US$ 15 milhões em sua primeira rodada de captação.

Por mais surpreendente que pareça, parte do dinheiro veio do Itaú Unibanco e do Bradesco, os dois maiores bancos privados do país e, em tese, os principais “alvos” do open banking — num indicativo de quanto evoluiu o debate sobre a tecnologia no mercado local. Outra parcela dos recursos veio de fundos como o Coatue, que fez seu primeiro investimento na América Latina, e Kaszek Ventures, que já aportou recursos em nomes como Nubank, Creditas e Quinto Andar.

O aporte foi levantado por meio de ações e dívida conversível, e dará aos investidores participação minoritária e presença no recém-criado conselho de administração da Quanto. Taveira continuará como controlador e executivo-chefe, com gestão independente. O investimento do Bradesco foi feito por meio do fundo Inovabra Ventures e o do Itaú foi um aporte direto do banco, submetido à aprovação do BC.

Fonte: Globo.com

Deixar uma resposta