BC autoriza 1º sistema de registro de duplicatas e espera queda dos juros.

[av_hr class=’default’ height=’50’ shadow=’no-shadow’ position=’center’ custom_border=’av-border-thin’ custom_width=’50px’ custom_border_color=” custom_margin_top=’30px’ custom_margin_bottom=’30px’ icon_select=’yes’ custom_icon_color=” icon=’ue808′]

[av_textblock size=” font_color=” color=”]

Para a autoridade monetária, uso das duplicatas como garantia ao crédito permite “aumento no volume de concessão e redução de taxas”

Brasília – O Banco Central autorizou o funcionamento do primeiro sistema para registro de direitos creditórios representados por duplicatas. A autorização foi dada à Central de Recebíveis (Cerc), que tem sede em São Paulo. O sistema fará o registro de duplicatas adquiridas ou usadas por instituições financeiras como garantia em empréstimos e financiamentos.

Segundo o BC, a autorização está alinhada com a agenda do BC de barateamento do crédito às famílias e empresas. Para a autoridade monetária, o uso das duplicatas como garantia ao crédito é um mecanismo que permite “aumento no volume de concessão e redução das taxas praticadas nas linhas de crédito”. O BC lembra que os recebíveis são instrumentos para obtenção de financiamento, principalmente para pequenas e médias empresas.

A expectativa do BC é de que, com a duplicata eletrônica, o risco do sistema diminua. Isso porque o sistema eletrônico evitará que uma mesma duplicata seja apresentada em diferentes operações de crédito e permitirá a diminuição das chamadas “duplicatas frias”, que são títulos que não possuem o suporte em efetivas transações de bens ou serviços. Com um risco menor nas operações, o BC espera que isso se reflita em taxas de juros também menores.

Fonte: Por Estadão Conteúdo.

[/av_textblock]

Deixar uma resposta